Escrevi para te afogar

 Escrevi para te afogar

Você afunda e eu te vejo chocar-se contra o vácuo que se desvia de seu corpo semi-nu. O
pouco pano que te envolve mal cobre a pele do seu quadril. Você afunda e ninguém se
move porque todos estão mais chocados com a nudez que escapa sem pudor do que, com
quanta água salgada seu pulmão encharcado é capaz de suportar. Há quem dera você
soubesse nadar. Há quem dera você não fosse tão puta a ponto de paralisar os altruístas
salva-vidas que se diminuem dentro de suas sungas. Há quem dera você usasse maiô. Só
assim se mobilizariam os banhistas em socorro do corpo que mergulha num abismo sem
fim.

Você afunda, mas seus braços bailam, livres. Esqueceu as algemas no banco carona do
seu amor, e mesmo assim pesam os grilhões dos tornozelos. Você afunda como uma
âncora levando consigo todos os amantes que se aventuraram nas ondas do teu alto mar.
Você afunda e não reclama estar perdendo a consciência pela centésima vez, porque pelo
menos inconsciente não sente as salivas pejorativas que vomitam quando te beijam.
Você afunda e eu me curvo de vergonha, pois sei que chamará meu nome quando pela
garganta escapar o último fôlego de vida, gritará por mim e eu não estarei lá, não estarei lá
quando se fecharem seus olhos marinados de sal e os fachos de luz apagarem não mais
iluminando o fundo do oceano onde se faz sua cama e sua cova.

Sobre o autor: Filipo Brazilliano

Filipo é um contador de histórias verborrágicas e melodramáticas, um rabiscador de parágrafos obcecado por entender os entrelaços da vida, do amor e da fé. Dente de Leite é seu thriller psicologico mais recente no wattpad;
Para contata-lo @filipobrazilliano em todas as redes sociais.

Utopia

Related post

8 Comments

  • Adoro estes textos que transmitem sentimento!
    Muito lindo e profundo
    Continue assim!

    • .

      É mérito todo seu se permitir sentir os sentimentos do texto. Sinal que se abriu e se envolveu.

      Obrigado pela leitura, Beatriz.

  • nossa belo testo a nudez hoje em dia ainda choca muito o povo
    Eu sempre vejo em filmes como as mulheres mostra a nudez com facilidade
    E digo em tudo mostra corpo todo
    E porque os homens mostra apenas a parte do bumbum espero um dia ter a resposta

    • Muito boa sua percepção, Carol. Talvez “culpa” seja um tema recorrente em meus versos, porque por um longo tempo a culpa foi os grilhões pesando nos meus tornozelos. Mas escrever sobre é tratamento de liberdade.

      Obrigado pela leitura, Carol.

      @Filipobrazilliano

  • Achei o texto um pouco mais profundo. Da a sensação de que o contexto da história mostra um pouco de culpa, que o narrador transparece nesses pequenos parágrafos que estão no post. A história parece ser interessante!

    • Muito boa sua percepção, Carol.

      Talvez “culpa” seja um tema recorrente em meus versos, porque por um longo tempo a culpa foi os grilhões pesando nos meus tornozelos. Mas escrever sobre é tratamento de liberdade.

      Obrigado pela leitura, Carol.

      @Filipobrazilliano

  • É um texto bem profundo, envolve sentimentos, mas gostaria de entender do que ele realmente quer dizer, tenho minhas duvidas

    • Boa noite, Sil. Estou curioso pra saber sua interpretação do texto. Sobre o que você diria que ele está falando?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese